7 de setembro de 2013

orgulho .


Ela fumava o pensativo cigarro, enquanto desesperava. A realidade ė que ele não falou  a noite toda ao lado dela.. Manteve-se estável apoiado no seu orgulho como se nada o afectasse. Quanto isso a alma dela era consumida pelas chama do inferno, o medo aterrorizava-a completamente, afinal de contas ela amava-o e aquele tempo significou uma vida para ela e para ele ė como não tivesse acontecido nada naquele enorme espaço de tempo em que estiveram juntos.
Pelos vistos, não é a dor que é cruel, é o amor que rasga a pele.


Sem comentários:

Enviar um comentário